Logo ATME flat site.png

MICROTURBINA HIDROGERADORA

Solução que incorpora um conjunto de microturbinas e é capaz de gerar eletricidade a partir do fluxo de água dentro da tubulação para alimentar dataloggers e demais instrumentos de campo.
Com o avanço das tecnologias e a entrada das diversas áreas na era da informação, as concessionárias de água e grandes indústria que necessitam de um maior controle sobre a sua rede de abastecimento de água. Para isso, utilizam-se de medidores de campo denominados data loggers, que fazem a leitura de todas as variáveis necessárias para garantir o fluxo de água nas tubulações e a chegada no destino final, seja ele a casa dos consumidores, ou as empresas consumidoras. Algumas outras empresas particulares também necessitam de dados confiáveis para gerenciar o abastecimento, como parques industriais e a agricultura.

 

Dificuldades em campo

 

Nas áreas públicas, geralmente os data loggers estão instalados nos PVs (Poço de Visitação) para assim proteger o equipamento da ações do tempo, roubos, como também para ficar próximo ao local de leitura. A grande questão é que muitos destes equipamentos são alimentados por baterias, isso porque não é possível utilizar a energia existente nos postes das redes de energia por justamente o PV não ser considerara uma unidade consumidora oficial.
 
Ao utilizar baterias, alguns outros problemas acabam vindo junto. Um deles é o alto custo de troca de baterias quando estas falham. A equipe de campo deve averiguar periodicamente como anda a carga nas baterias. Uma vez que falha uma bateria, toda a leitura fica comprometida. Para economizar energia, é comum também aumentar o tempo de leitura para que o data logger não consuma muito energia. A grande questão é que se uma ocorrência surgir, pode ser tarde demais para a equipe atuar em cima.  Um outro problema é a quantidade de baterias usadas que sobram, e que consequentemente devem ser descartadas em local adequado.

 

Com funciona a solução?

 

A solução incorpora um conjunto de microturbinas que é capaz de produzir eletricidade a partir do fluxo de água dentro dos tubos. O sistema possibilita um melhor controle das redes de água, pois o dispositivo de controle pode ser instalado em qualquer ponto da rede hídrica.
 
A partir de tubulações de 75mm a 150mm, a microturbina é capaz de produzir de 10 a 20 Watts de potência com tensão de 12 a 24 VCC, para alimentação dos mais diversos equipamentos como sensores, data loggers, controladores e atuadores pneumáticos em redes de água. O mecanismo otimizado em formato hidrodinâmico garante aumentar a geração de energia com o mínimo de perda de carga na rede. O equipamento conta com um sofisticado sistema de algoritmos que maximiza a recarga da bateria do conversor quando a energia produzida é maior do que a demandada e, também, economiza bateria quando as vazões estão baixas, como, por exemplo, o período noturno que é quando o consumo de água diminui.
 
Este dispositivo fornece a energia necessária para data loggers e controladores de VRP. Dessa forma dispensa o uso de baterias, que tem vida útil curta e a substituição por outra é cara e causa impactos ao meio ambiente, e dispensa também alimentação por rede externa de eletricidade evitando transtornos às empresas de saneamento, além de proporcionar um melhor controle no monitoramento de água em áreas remotas e áreas sem acesso à eletricidade.
 
Para uma gestão efetiva das redes de abastecimento e controle de perdas, as concessionárias de água precisam que seus equipamentos fiquem acordados initerruptamente – 24 horas por dia, sete dias por semana. Outra vantagem do sistema é a manutenção, que pode ser feita com a rede em carga sem necessidade de interromper o abastecimento local.

 

 

Passo a passo da solução
Passo 1 - Entendemos a necessidade de geração de energia ao longo da rede de distribuição. Nos pontos de monitoramento, instalamos as microturbinas e ligamos ao sistema a ser alimentado.
Passo 2 - A solução então, através do fluxo da corrente de água contida na tubulação, gera energia suficiente para alimentar o sistema.
Passo 3 - Através do sistema swing, conseguimos perdas de cargas mínimas, como também assegura-se a integridade das microturbinas.
Passo 4 - A solução completa inclui a microturbina hidrogeradora, um carregador e uma bateria interna recarregável. Veja também nossas soluções de controladores de VRPs e dataloggers.
Neste vídeo abaixo você poderá encontrar o sistema em operação.
Soluções adicionais
 
Quer saber sobre outras soluções que geram uma potência maior? Ou específica para outros diâmetros de tubulação? Entre em contato conosco.