Logo ATME flat site.png

A IMPORTÂNCIA DA MANUTENÇÃO DAS TORRES DE RESFRIAMENTO

É importante investir na manutenção preventiva para manter o equipamento funcionando em sua capacidade ideal. Além de reduzir futuros gastos com manutenção corretiva, evita surpresas com possíveis trocas de equipamentos.
Sobre as Torres de Resfriamento

 

A torre de resfriamento é um sistema que faz uso de processos de evaporação e transferência de calor para resfriar um fluido, geralmente água. São equipamentos geralmente encontrados em usinas de açúcar e etanol, usinas termoelétricas e nucleares, siderúrgicas, indústrias químicas e petroquímicas, de papel e celulose, alimentícias e outras. Além dessas, são encontradas em sistemas de ar-condicionado comercial e industrial e em instalações frigoríficas.

 

A torre de resfriamento tem a função ecológica e econômica do reaproveitamento da água nos processos industriais, fazendo-a recircular em circuito fechado. Esta é uma forma de reaproveitar o recurso e não utilizar de forma desenfreada.

 

Dentre os vários componentes envolvidos na operação dessas torres, podemos citar ventiladores, motores, redutores ou caixas de engrenagens e eixos de transmissão.

 

Normalmente, quando a indústria estiver com um processo produtivo em funcionamento, a torre de resfriamento vinculada àquele processo, estará também em operação. Um  processo pode estar vinculado a mais de uma torre de resfriamento, porém na falha de uma, as demais não a substituem, podendo gerar estresse no sistema, reduzindo a capacidade de resfriamento.
Os tipos de manutenção

 

Para o funcionamento contínuo e eficiente, a manuteção deve ser realiza onde as torres funcionam basicamente pelo fludio que é resfriado através da troca térmica entre o líquido e o ar que circula internamente. Esta manutenção deve ser regular, com limpeza nas estruturas da regrigeração, procedimentos de manutenção em torres de resfriamento que promova o seu funcionamento e aumento da vida útil.
 
A manutenção preventiva é feita antes das torres de resfriamento apresentarem algum tipo de problema. Esse serviço é feito periodicamente para que não haja no futuro alguma problema que afete o processo produtivo. Já a manutenção corretiva acontece quando algum problema em andamento possa prejudicar ou paralisar o processo produtivo.
 
Além da manutenção das torres de resfriamento, existe ainda a reforma das torres de resfriamento. E dependendo da situação apresentada, a reforma pode compensar financeiramente, saindo mais em conta que a compra de um novo equipamento da fábrica. Porém em outras situações, a reforma por acabar saindo por um custo superior ao de um equipamento novo. Ou até render o mesmo que rendia antes da falha.
Limpeza

 

Na execução da limpeza, deverão ser efetuadas a desobstrução dos distribuidores, bicos aspersores e canaletas, higienização da bacia de água fria, do enchimento que fica em contato com a máquina de lavar de alta pressão, com a remoção dos resíduos particulados de iodo, auxiliando na proteção dos condensadores, bombas, trocadores de calor e tubulações.
 
Para fazer a manutenção da tubulação interna do sistema, é muito comum a utilização de químicos, ou abrandadores (NaCl) para realizar a remoção de sedimentos. Porém, além de ser um tratamento contínuo e caro, é totalmente agressivo ao meio-ambiente, pois gera um grande volume de água de purga que é corrosiva. Outro fator que deve ser mencionado é que água de resultado é muito corrosiva e danifica as peças de metal da torre de arrefecimento e dos tubos de CW.
 
No final das contas, a utilização de químicos como procedimento de manutenção da torre eleva consideravelmente o custo da ETE.
Tratamento por eletrólise - uma solução eficiente e não-agressiva

 

A remoção de sais mineriais é feita através do processo contínuo de eletrólise. O tratamento sem químicos coleta todo o carbonato de cálcio e carbonato de magnésio livres da água e impede quaisquer depósitos de sedimentos nos elementos da torre de arrefecimento. O controle é feito através de um microprocessador com base em PLC e suas válvulas são eletricamente ativadas. A instalação é feita em um fluxo lateral, de forma independente do circuito de TR do Trocador de Calor.
 
Através da aplicação de energia elétrica entre o anodo e o catodo, uma reação química é ativada e ocorre o processo de eletrólise. A água da bacia da torre de arrefecimento é distribuída através do Removedor de Sedimenos por eletrólise.