Logo ATME flat site.png

DICAS DE ILUMINAÇÃO LED

O QUE VOCÊ DEVE SE ATENTAR NA HORA DE ESCOLHER A LÂMPADA PARA COMPOR O AMBIENTE.
Atualmente são oferecidas inúmeras opções de lâmpadas no mercado. Porém, é de extrema importância escolher o modelo certo, que seja mais eficiente energeticamente, para compor um ambiente. 
 
A lâmpada de LED é o tipo que mais traz economia na conta de luz. Tem vida útil mais longa do que a incandescente e fluorescentes e é mais sustentável. No entanto, ao sair para comprá-las, vai perceber que existem vários modelos diferentes, o que pode gerar confusão na hora da escolha. 
 
Um projeto de arquitetura com um bom estudo de iluminação garante a certeza de satisfação para o cliente. Luminárias com lâmpadas eficientes, bem posicionadas fazem toda a diferença. A iluminação bem feita transforma o ambiente incitando estados de espírito.
 
Confira quais características você deve se atentar na hora de escolher uma lâmpada:

 

 

LÚMENS
É importante ficar atento a uma característica: quantos lúmens a lâmpada possui. O Lúmen é a unidade de medida de fluxo luminoso, ou seja, indica qual o brilho que aquela lâmpada pode fornecer para uma determinada área. Por meio dos lúmens você pode ter certeza da quantidade de brilho que uma lâmpada fornece. Sem depender de seu consumo ou qualquer comparação com outro tipo de lâmpada.

 

 

EFICIÊNCIA LUMINOSA
É a relação entre o fluxo luminoso e a potência consumida. Veja alguns exemplos: Lâmpada incandescente 100W = 1.600 lm, logo 1600 / 100 = 16 lm/W. Lâmpada fluorescente compacta 15W = 920 lm, logo 920 / 15 = 61,3 lm/W. Portanto, quanto maior o número, mais eficiente é a lâmpada por Watt consumido. 

 

 

IP
O sistema de avaliação de proteção IP é um padrão definido pela norma internacional IEC 60529. O sistema de avaliação classifica o grau de proteção fornecido por um compartimento de equipamento elétrico contra objetos sólidos (como poeira) e líquidos (água, óleo, etc.). O grau de proteção fornecido por um compartimento é indicado com um sistema de 2 dígitos: o primeiro número indica o grau de proteção contra objetos sólidos e o segundo número indica o grau de proteção contra líquidos.

 

 

CERTIFICAÇÃO
A certificação de lâmpadas LED é necessária para comprovar que o produto atende os requisitos básicos de desempenho, visando o bem-estar e a segurança dos consumidores, além de comprovar que o produto é de qualidade.

Com a certificação, as lâmpadas LED disponíveis no mercado devem conter a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia. Ao usar a informação contida nessa etiqueta, o consumidor deve observar a equivalência entre as diferentes tecnologias. Como todas proporcionam fluxo luminoso semelhante, é justamente a menor potência que faz com que o LED tenha a melhor eficiência luminosa.

A etiqueta do Inmetro informa a diferença entre os produtos, já o Selo Procel indica as lâmpadas mais eficientes. Por isso é importante ficar atento e escolher por produtos que possuem certificação. 
 
TEMPERATURA DE COR
A temperatura de cor da lâmpada também é um item a ser observado. Essa temperatura indica em qual cor a lâmpada vai brilhar quando estiver acessa. Existem lâmpadas mais amareladas e outras mais azuladas – isso porque elas possuem temperatura de cor diferentes. Quando falamos em eficiência de luz esse ponto é de extrema importância, seja para compor decoração ou não.

As luzes mais quentes – avermelhadas ou amareladas, são mais indicadas para compor a decoração de espaços que precisam ser mais aconchegantes, ambientes de descanso como, sala ou quarto. Já as luzes mais frias – azuladas ou brancas, são indicadas para ambientes de trabalho, pois são mais cores mais estimulantes. 

 

 

ÍNDICE DE REPRODUÇÃO DE COR
Outra característica que deve ser observada é o índice de reprodução de cor, que é a relação entre a cor real de um objeto ou superfície e sua aparência percebida perto de uma fonte luminosa.

Como as fontes de iluminação artificial, como é o caso das lâmpadas as cores dos objetos, podem não ser enxergadas como realmente são a luz natural – luz do sol. A escala de índice de reprodução de cor (IRC) vai de 0 a 100, sendo que quando mais próximo de 100, é mais próximo da luz natural.

Por isso é necessário se atentar, as lâmpadas de LED geralmente possuem o índice próximo de 80, apresentando ainda diferenças na reprodução das cores, mas atualmente com o avanço de novas tecnologias já existem lâmpadas que apresentam índice igual a 100.

 

 

MODELO
Existem diversos tipos de lâmpadas. Porém com o fim da fabricação das lâmpadas incandescentes, a procura por lâmpadas de LED só aumentou. Por questões energéticas – custo da energia e por questões sustentáveis o LED é o tipo de lâmpada mais indicado.  Este, chega a ser 80% mais econômico comparado a lâmpadas incandescentes e alógenas. A tecnologia tem avançado cada vez mais podendo até ser comparada as funcionalidades dos outros tipos de lâmpadas.

Por isso na composição dos ambientes é necessário ficar atento no tipo de lâmpada.

 

 

DIMERIZAÇÃO
Além de todas essas características, a dimerização também é um ponto importante na hora da escolha das lâmpadas para um ambiente. As lâmpadas dimerizáveis permitem o controle de brilho. Atualmente é possível dimerizar 90% das lâmpadas no mercado.

O dimmer é um dispositivo usado na lâmpada para variar a intensidade da luz em um ambiente, devido às vantagens tanto financeiras quanto estéticas, contribuindo para uma decoração aconchegante